Grupo Multi, dono da Wizard, adquire SOS Computadores

O Grupo Multi, dono das redes de idiomas Wizard e Skill, anuncia hoje a compra da SOS Computadores, franquia de escolas profissionalizantes de informática. O valor não foi informado. O antigo proprietário da SOS, Palmiro Filippini, será o presidente da rede e seguirá como sócio, com 20% do capital.

"Nosso objetivo é a liderança entre as franquias educacionais e profissionalizantes", diz Carlos Wizard Martins, presidente e fundador do Grupo Multi. Para isso, ele pretende chegar a 650 unidades no país, ultrapassando a Microlins. Com a SOS, o Multi passa a ter 300 unidades em funcionamento.

Fundado em 1987, o grupo é uma multinacional brasileira com 2.000 escolas no Brasil, EUA, Europa e América Latina, oferecendo cursos de idiomas e profissionalizantes (informática, administração, eletrônica etc). No ano passado, o faturamento foi de R$ 1,1 bilhão.

A SOS foi criada há 27 anos e possui 150 unidades, em 17 Estados, com 100 mil alunos matriculados. Em 2009, seu faturamento foi de R$ 60 milhões.

Com a aquisição, o Grupo Multi pretende ter receita de R$ 1,35 bilhão já em 2010.

"Parte desse aumento virá da SOS", diz Martins. Segundo ele, a rede terá a meta de crescer 10% ao ano -hoje, mantém uma taxa de 4%. "O restante virá de uma nova aquisição que devemos fechar até o final do primeiro trimestre." Martins afirma que mantém cinco novas negociações em andamento, mas não revela as empresas.
Para ele, esse é um setor que está se concentrando. "Existem só seis grandes franquias. As demais redes são empresas regionais, cujo porte não permitirá competir nesse cenário", diz.

As franquias educacionais e profissionalizantes vêm registrando taxas de crescimento acima de 10% há cerca de cinco anos. O desempenho desse segmento está atrelado ao aumento do poder aquisitivo das classes C e D. Para elas, matricular os filhos nesses cursos técnicos é uma forma de capacitá-los para o primeiro emprego. Só depois, quando já frequentam o ensino superior pagando os estudos com o salário, é que eles passam a estudar idiomas.

O ensino de idiomas é o carro-chefe do Grupo Multi, mas, nos últimos anos, as receitas dos cursos profissionalizantes vêm crescendo acima da média e já representam 7% do total. Percebendo esse potencial, Martins passou a firmar convênios com empresas nos diversos Estados em que atua. "Com isso, nossos alunos passaram a ter chance de fazer, pelo menos, um estágio", diz. "E com alguma experiência fica mais fácil conseguir emprego depois."

Segundo ele, dois terços dos formados empregaram-se após o estágio. Deste total, 20% voltaram para cursar idiomas, interessados em empregos que exigem mais qualificação.

(Folha Online)

 

 

 

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.